Contradição

sábado, 1 de outubro de 2011


































Ardo em contradição
Não sei o que falar
Não sei o que fazer
Eu só queria deixar de sofrer.

O coração no peito já não existe
É só a carcaça permanentemente a chorar
E nem Deus sabe como é triste
um corpo sem alma ter que alimentar.

Alimentar para sobreviver
Sobreviver por quê?
Se morrer é todo o meu desejo
Dentro do próprio viver?

De que adianta viver
de que adianta forçar um sorriso
se você já não está mais comigo?

Mas apesar de sofrido, doído, fodido
com uma força sinistra a apunhalar
meu coração, de amor, está a transbordar

E foi extamente esse amor que me matou
exatamente esse amor que faz
com que eu nem exista, de tanta dor!

Ardo em contradição
não sei o que pensar
não sei o que dizer
eu só queria de tudo poder esquecer.



Texto by Fiesta
Imagem by Nekranea




22 comentários:

{ Marcela } at: 3 de outubro de 2011 16:34 disse...

Que belo poema!

{ Neusa Fiesta } at: 3 de outubro de 2011 22:07 disse...

Obrigada, Marcela! Fico feliz com seu comentário; bom que gostou!

BEIJOSSSS

{ Jorge Purgly } at: 9 de outubro de 2011 23:21 disse...

Querida Neusa, as vezes o silêncio grita.
Um abraço carinhoso,
Jorge Purgly

{ Dú Pirollo } at: 10 de outubro de 2011 01:13 disse...

Olá minha querida amiga Neusa, boa noite!!!
Minha amiga, adorei o seu poema, forte e firme!!!
O amor também tem suas desilusões, suas dificuldades e seus sofrimentos, que muitas vezes sangram e deixam profundas cicatrizes de difícil cura, mas mesmo assim continua sendo o amor, assim como a rosa, que tem os seus espinhos que ferem, mas continua sendo uma bela e perfumada rosa.
Parabéns pelo excelente poema, maravilhoso!!!
Tenha uma maravilhosa e abençoada noite repleta de muita luz!!!
Beijos com carinho e muita paz!!!

{ Valéria Braz } at: 10 de outubro de 2011 01:28 disse...

Olá Neusa minha amiga.... saudade de você! E que bom que hoje pude passar por aqui e encontrar este post!
Te confesso que o achei triste demais, mas o amor quando se vai deixa a gente assim mesmo... com um enorme vazio a latejar....
Mas o melhor é que com o tempo vai nos preenchendo e nos tornando ainda mais aptos a voltar a amar!
Beijo enorme em seu coração

{ Luiz Scalercio } at: 10 de outubro de 2011 09:47 disse...

OU NEUSA acordar e lendo um poema belissimo meu dia fica melhor pra encarar o trabalho.
um abraço.

{ Adriana Helena } at: 10 de outubro de 2011 10:52 disse...

Neusa.. bom dia! Que lindo poema!!
Forte e sublime... doído também... mas é lindo!!
Um grande beijo amiga!!!

{ manoel } at: 10 de outubro de 2011 20:44 disse...

Não, não! Eu te amo tanto e não posso entender tanta mágoa. Deixa-me secar tuas lágrimas! Deixa-me alimentar tua alma! Ah, os nossos beijos!
Como esquecê-los? Nossos corpos unidos, fundidos, como um só. Não, não quero que se esqueças de mim. Ainda quero poder ouvir tua voz me dizendo - Te amo, te amo mais que tudo! Te amo amor meu!
Bjs,
Manoel

{ BLOG DE POESIAS DO PROFEX } at: 12 de outubro de 2011 19:18 disse...

Palavras fortes que revelam grande dor. Mas o que se esperar do amor?
Quem há de explicar?
Abraços!

{ *Patricia* } at: 14 de outubro de 2011 12:45 disse...

É, tem coisas que por mais que tentamos deixar não passa e doi..um belo poema.

http://seiquedeusexiste.blogspot.com/

{ mundo virtual } at: 15 de outubro de 2011 09:00 disse...

Oiii Querida!
Mais um lindo e emocionante poema,nem o tempo consegue apagar certos sentimentos de nossa alma,tais sentimentos permanecem em silencio e as vezes contra nossa vontade acordam para nos perturbar e nos confundir.
Beijão minha musa inspiradora!

{ Neusa Fiesta } at: 24 de outubro de 2011 23:13 disse...

Manoel, que lindo ! Venha secar minhas lágrimas, lágrimas de saudades de meu filho...
Um grande beijo!

{ Neusa Fiesta } at: 25 de outubro de 2011 00:11 disse...

Triste, Valéria, porque é real, dolorido, sentido, profundo lamento
de uma mãe que não tem mais seu filho....

Triste, Valéria...

Obrigada por participar! Um grande beijo!

{ Neusa Fiesta } at: 25 de outubro de 2011 00:12 disse...

Mauro, a dor de uma saudade...é algo que vai nos matando aos poucos.

Obrigada, querido amigo!

BEIJOSSSS

{ Neusa Fiesta } at: 25 de outubro de 2011 00:13 disse...

Adriana Helena, dor, dor que me corroi, que não me deixa em paz...
Sofrimento a todo momento...

Obrigada, amiga, por comentar!

BEIJOSSSSSSSS

{ Neusa Fiesta } at: 25 de outubro de 2011 00:14 disse...

Caríssimo Luiz Batista,

agradeço seu carinho e participação.

Um grande abraço!

{ Neusa Fiesta } at: 25 de outubro de 2011 00:15 disse...

Obrigada, meu querido amigo Dú Pirollo, pela sua participação.
Agradeço suas palavras, sempre tão gentis e amáveis.

Um afetuoso e grande abraço!

{ Neusa Fiesta } at: 25 de outubro de 2011 00:19 disse...

Patricia, somente por saber que Deus existe é que continuo meu caminho....

Obrigada pelo carinho.
Visitei seu Blog, gostei e já estou seguindo-o!

Abraços!

{ Neusa Fiesta } at: 25 de outubro de 2011 00:21 disse...

Jorge, o silêncio grita, tem razão...
Quando a ausência , o silêncio,
ferem nosso coração,
ele grita...

Obrigada, amigo!

BEIJOSSSSSS

{ Neusa Fiesta } at: 25 de outubro de 2011 00:24 disse...

Querido Professor Expedito!

Não é o amor que dói...
O que dói é ficar distante do ser amado,
aquela saudade que te espreme o peito,
que te apunhala.
Aquele desassossego...
Seja em sonho, seja acordada,
não há um minuto de paz,
a angústia é profunda demais...

Grata pela sua participação!
Um grande abraço!

{ Luma Rosa } at: 1 de novembro de 2011 11:02 disse...

O Título diz bem: Contradição! Como um corpo sem alma, chora? ;) Beijus,

{ Getulio Malveira } at: 10 de abril de 2013 18:27 disse...

Belo Poema!

Postar um comentário