Sadness

sábado, 9 de julho de 2011


Não sei viver a vida presente
Prefiro a minha vida do passado.
Passei por tudo, tive um ou outro sonho realizado
Mas tudo o que eu queria, era você ao meu lado.

Foi tão poder amá-lo assim, demasiadamente
Tudo tão belo, os dias tão risonhos
Eu só queria  poder vê-lo crescer
Tornar-se independente.

Nem notei que sem você ao meu lado
Tão rapidamente ia envelhecendo
E agora, descubro, de repente, que é
Por sua falta que estou morrendo.

Estou fraca, estou sentindo
Dia a dia me acabando
Nem só o que  pede pão é mendigo
Eu peço, em vão, tê-lo ao meu lado, sorrindo.

Sempre tão sofrida, triste de fazer dó
Quando cabisbaixa sigo pela rua
Só o que consigo pensar é:
"Que vida ingrata, quão triste foi a sorte sua!"

Mas no vaivém desta vida
Eu não venho, eu não vou
Eu não sou nada, não existo
Fui alguém que se acabou.

Sinto chegar a hora da minha partida
Quero, ao menos, poder dar-lhe o meu adeus
Venha e traga-me em sua vinda,
Esses seus lindos olhos, que são meus!




Texto:Neusa Fiesta
Imagem: aiki-ame

4 comentários:

{ BLOG DO PROFEX } at: 13 de julho de 2011 23:33 disse...

Neusa, você conseguiu dissecar, desfragmentar a tristeza. Duvido que depois deste texto ela seja a mesma...
Grande abraço!

{ manoel } at: 14 de julho de 2011 08:13 disse...

Triste,belo,tocante.

{ Neusa Fiesta } at: 1 de outubro de 2011 21:23 disse...

Meu querido Expedito Gonçalves Dias,
que maravilhoso saber que, exatamente você,que até no nome é um grande poeta, tenha gostado de meu simples e humilde poema! Agradeço, de coração, o seu gentil comentário!
Um grande e afetuoso abraço!

{ Neusa Fiesta } at: 1 de outubro de 2011 21:26 disse...

Querido amigo Manoel,
fico feliz em saber que gostou e quero agradecê-lo pelo carinho, pelo comentário.

Um grande e carinhoso abraço!

Postar um comentário