Começa o começo...

segunda-feira, 4 de julho de 2011
Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia: - "pai, começa o começo!". O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos.
Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia feito.




















Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado para, pelo menos, "começar o começo" de tantas cascas duras que encontro pelo caminho. Hoje, minhas "tangerinas" são outras. Preciso "descascar" as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes, ificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.












Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis...

Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando lhe pedia para "começar o começo" era o que me dava a certeza que conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.

Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus:


Não sei que tipo de dificuldade eu e você encontraremos pela frente. Sei apenas que vou me garantir no Amor Eterno de Deus para pedir, sempre que for preciso: "Pai, começa o começo!".

Reflita....

Meu carinho,

JB PIRES

3 comentários:

{ Alex Azevedo Dias } at: 4 de julho de 2011 13:10 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
{ Alex Azevedo Dias } at: 4 de julho de 2011 13:12 disse...

O primeiro rasgo na casca. Demanda ao pai provedor. Pedido não compreendido, mas em seu acolhimento paterno, negando o desamparo, terminava o começado. "Começar o começo" significava um pedido para que o pai facilitasse e autorizasse esse início - tão difícil para os filhos. No mundo animal, as pequenas avezinhas são impulsionadas pelos pais, do alto das frondosas árvores, para o primeiro bater de asas - o primeiro rasgo. Depois que os pais começavam o começo, a avezinha poderia começar e seguir por conta própria. A fragilidade da criança humana às vezes não permite que os pais só deem o primeiro rasgo, introduzindo o começo dos filhos, pois eles, carinhosamente, começam e terminam, poupando-os de esforços inalcançáveis pela imaturidade. "Começar o começo", essa é a ordem da evolução da criança humana - o pai faz o rasgo inicial , um obstáculo amenizado, para que o filho descasque todo o fruto e consiga voar mais alto. Um grande abraço, Alex.

{ Luana Zatta } at: 6 de julho de 2011 21:06 disse...

Belas palavras. Desejo verdadeiramente que Deus possa começar o começo em nossas vidas e, assim, seremos fortes o bastante para vencer os obstáculos que encontrarmos pelo caminho.

Postar um comentário