MORTE

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Ausência da dor passada,
dos vaivéns da minha sorte;
nem gosto, nem sentir, nem nada
Apenas a paz da morte!

Não durmo querendo ver-te 
lenta chegar, de sons e cores deserta;
para que sem sombra de engano, a ti saber que me irmano
Sentir que morro desperta!


Seria tudo em um instante,
o ponteiro dos segundos percorreria seu quadrante;
e eu seria feliz ao ouvir-te o dócil passo
Que estaria prestes a dar-me o teu longo e eterno abraço!

Os meus olhos secos e moribundos,
cerraria-os contente e sem ansiedade;
não tenho um ente no mundo
Que de mim sinta saudade!

Não encontrei aqui na Terra,
a realização dos sonhos meus; 
não tenho ninguém para ouvir
O meu último e breve adeus!


Única ideia mais real dos homens,
que, no entanto, a qualquer um aterra; 
consciência, razão, tudo aquilo que nos aflige
Deram em nada, ao passarmos na Terra!

Que mais posso fazer senão se,
na dor que me devora violar tua demora;
se por ver tua tardança, para encher-me a esperança
Quis matar-me nesta hora!




Texto: Neusa Fiesta, inspirada em 
Hora de Delírio de Junqueira Freire.
Imagem by michellemonique

19 comentários:

{ Senhor da Vida } at: 3 de junho de 2011 17:08 disse...

Profundo, abs!

{ manoel } at: 3 de junho de 2011 21:16 disse...

Menina! Que coisa linda, você está um show!




Manoel

{ Fatima Zanin } at: 3 de junho de 2011 21:25 disse...

Gostei muito amiga Fiesta, parabéns.
Beijo.

{ mundo virtual } at: 3 de junho de 2011 22:48 disse...

Olá minha musa e grande amiga!
Um texto que toca e desperta as nossas mais profundas emoções!!!
Beijão linda!!

{ Guta Schneider } at: 4 de junho de 2011 23:04 disse...

Querida amiga,

Simplesmente lindo! Triste e trágico, mas lindo e muito bem escrito.

Tenha um ótimo domingo!

Beijos,

Guta

{ Tiozão das Batidas } at: 13 de junho de 2011 02:19 disse...

Me arrepiei.

{ Guria Faceira } at: 14 de junho de 2011 21:47 disse...

ola fiestinhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
nossa quanta intensidade
mas achei profundo demais naum q seja ruim
mas me preocupo...

super bjo minha linda amiga q adoro demais

{ Yolanda Hollaender } at: 17 de junho de 2011 20:04 disse...

Adorável amiga Neusa,

Um texto envolvente e forte, trágico e realista, intenso e comovente.Traduz uma forma de ver a passagem desta vida terrena...

Lembrei-me do longa All the Jazz, em que a Morte é interpretada por Jessica Lange, vestida de branco... Linda, atraente e sedutora... O saudoso Roy Scheider interpretando, talvez, seu próprio papel, faz uma retrospectiva de sua vida, e se lança, finalmente, nos braços daquela que o seduz...

Teu poema é belíssimo, amiga! Espero que não seja o último.

Meu carinho,
Yolanda

{ Neusa Fiesta } at: 17 de junho de 2011 21:22 disse...

Ah, querida, obrigada...Na verdade o Roy Scheider deixou um vazio em meu coração. Eu o amava. A Jéssica Lange, uma das mulheres mais lindas que já vi. E o roteiro é realmente baseado na vida do autor e diretor, o Bob Fosse- grande dramaturgo, cineasta, coreógrafo...o mesmo de Cabaret com a Liza Minelli, que eu tb amo!...Bob Fosse Foi-se ...assim mesmo, como previra...tal qual uma premonição da própria morte. Esquisiiiiiiiiito....
Obrigada, Yolanda...Tomara que não seja o meu último...
BEIJOSSSSSSSS

{ Flora Pires } at: 19 de junho de 2011 13:46 disse...

Um poema e tanto!
Muito impactante e retrata muito bem a viajem fantasiosa e simbólica dos suicidas! Como o abandono, a “desimportância”, etc.
Parabéns!
E acredito que não será o teu último!
Beijos!
Flora!

{ Neusa Fiesta } at: 21 de junho de 2011 21:27 disse...

Flora, obrigada, querida! Fico muito feliz em saber que gostou...
Espero tb que não seja o último....rsrs
BEIJOSSSSS

{ Neusa Fiesta } at: 21 de junho de 2011 21:28 disse...

GUTA, MINHA AMIGA!!

FIQUEI MUITO CONTENTE EM SABER QUE VC GOSTOU, ACHOU BEM ESCRITO...
ESSE SAIU DO FUNDO D ALMA!

BEIJOS E OBRIGADA!

{ Neusa Fiesta } at: 21 de junho de 2011 21:29 disse...

MAURO,
VC ME DEIXA FELIZ ME CHAMANDO DE MUSA!
HEHEHE
GOSTEI, QUERIDO!
FIQUEI MAIS MOTIVADA, FAREI OUTROS, SE DEUS ASSIM O PERMITIR!

BEIJOSSSSSSSSS

{ Neusa Fiesta } at: 21 de junho de 2011 21:32 disse...

Fátima, Juci, Tiozão, enfim, todos os amigos, obrigada pelo carinho e apoio. Um grande beijo!

{ -*Vera Luz*- } at: 22 de junho de 2011 22:09 disse...

Olá Querida Neusa!

Em suas palavras transparece a morte da ilusão, o que é muito saudável, agora é preciso apenas a continuação, na abertura e no entendimento da vida! Abra os braços e sinta o ar que sustenta o corpo e refrigera a Alma e o espírito divino que toca em seu coração e reconhecerás a vida em abundância para participar do bem que ela nos oferece em oportunidades e desenvolvimento! Muito feliz em passar por aqui!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

{ Alex Azevedo Dias } at: 3 de julho de 2011 19:29 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
{ Alex Azevedo Dias } at: 3 de julho de 2011 19:30 disse...

Impactante! Suas palavras afanaram as sintaxes que até então pensara pertencerem-me. Estive amargamente equivocado. As sintaxes não se prendem a ninguém. Elas são independente. Quando acreditamos tê-las, já escaparam. São fugidias na apreensão e compreensão. Ao esperar pelas palavras, encontro-me com a morte. Ao esperar a morte, ela não virá. Matar-me-ei no verbo.

{ Neusa Fiesta } at: 3 de julho de 2011 19:34 disse...

Alex, adorei seu comentário!
BEIJOSSSSSSSS

{ Neusa Fiesta } at: 1 de outubro de 2011 21:34 disse...

Minha querida amiga Vera Luz:
Obrigada pelo seu fantástico comentário; adorei suas palavras, que transbordam carinho e amizade!
Um grande beijo!

Postar um comentário