Quem sou eu

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011


 Sou forte, sou fraca
Tenho alma de poeta 
E sonho de artista...
Sou completa sendo incompleta
Danço no palco da vida
Represento a verdade do coração...


Sou deslumbre
Sou disparidade
Viajo nas entrelinhas da canção...

 
Sou alarde que arde
Sou chama que não se abate
Sou do chamado o som...
Sou tensa, sou relaxada
Descortinar da saudade
Descoberta no amor...

Sou tudo e não sou nada
Sou quem sou sendo apenas
Mulher, menina,
Aprendiz e professora da vida!

Valéria Braz

19 comentários:

{ Luisa L. } at: 9 de fevereiro de 2011 17:18 disse...

Só uma mulher muito bela poderia ser assim!

Lindo o teu poema, Valéria.

Beijinhos

{ carlos roberto } at: 9 de fevereiro de 2011 17:46 disse...

Muito lindo, Valéria!

Concordo com a Luisa: "Só uma mulher muito bela poderia ser assim!"

Parabéns!

Um abração...

{ Edgard Shigenaga } at: 9 de fevereiro de 2011 18:11 disse...

Amiga, percebi em suas palavras a presença do conceito do yin-yang. E esse conceito é universal e está presente em tudo. Como você disse, somos forte e somos fracos. Alguns momentos somos predominantemente um e num instante seguinte, já somos o outro.
Suas palavras sussurraram leves como uma doce melodia mas foram densas e profundas em conteúdo. Parabéns!!!
Bjs.

{ Rosangela } at: 9 de fevereiro de 2011 18:26 disse...

Lindo Valéria! Somos humanas.
Bjs!

{ Arte e Café } at: 9 de fevereiro de 2011 20:02 disse...

Querida Valéria
Sem palavras, forte e intenso demais.
O poema revela toda beleza do seu ser!
O jogo de palavras é deslumbrante!
Parabéns grande poetisa!
Beijos mil

{ -*Vera Luz*- } at: 9 de fevereiro de 2011 21:58 disse...

Olá Valéria!

Me pareceu uma das lições dos mestres! Quem Sou Eu! Essa pergunta deve ser ecoada por toda a nossa vida, pois incorporamos a cada momento uma identidade, algo com o que nos identificamos e na verdade, não somos nada disso que representamos! Essa pergunta é muito profunda e deve ser constante em nossas vidas, é uma das formas de identificarmos a cada instante se estamos no palco da vida interpretando realmente o que é ou que deveria ser?! Maravilhoso poema!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

{ Fernandez } at: 10 de fevereiro de 2011 08:59 disse...

Olá Valéria querida!
Lindo poema minha amiga. Acredito que montaste um belo e profundo retrato da alma uma grande mulher que, como bem destacaste, é protagonista de uma magnífica peça chamada vida. ;-)
Colocaste de forma inspirada (e inspiradora) uma lição importante... o se colocar como "Aprendiz e professora da vida!". ;-)
Gostei demais.
Beijo no coração, Fernandez.

{ Antonio Pereira (Apon) } at: 10 de fevereiro de 2011 10:06 disse...

Inspirado, inspirador e belo poema Valéria. Gostei muito.

Um abração.

{ Jackie Freitas } at: 10 de fevereiro de 2011 12:37 disse...

Olá querida Val!!!
Mais um lindo poema, desnudando essa alma esplêndida, cheia de mistérios e ao mesmo tempo tão transparente... Uma grande artista que escreve com o coração e nos doa o que há de melhor nele. E quanta riqueza a compartilhar, minha querida!
Parabéns por esse primor! Adorei, me encantei, me apaixonei...
Grande beijo,
Jackie

{ Samanta } at: 10 de fevereiro de 2011 17:55 disse...

Olá bela Valéria !!

Lindíssima descrição poética das belezas que estão entranhadas no seu ser, mesmo com suas dualidades, que aliás todos as temos, consegue ser intensa e suave assim como você nos mostra que realmente é !
E é nesta diversidade que está sua graça, sua sabedoria e sua doçura :)
Adorei !!!
Um super beijoooo

{ Rike } at: 10 de fevereiro de 2011 18:16 disse...

Olá!
Passando pra agradecer o carinho e as visitas de vocês!
Também seguindo!
Bjs!
Rike.

{ JORNALISMO ANTENADO } at: 10 de fevereiro de 2011 20:53 disse...

Você é um a linda amiga, sensivel e com garra, menina, mulher, mãe, nos presenteou com mais uma linda poesia que te define muito bem minha querida.

Te adorooooo viu!!!

beijos no coração

Márcia Canêdo

{ O AMOR ESTÁ NA REDE!!! } at: 15 de fevereiro de 2011 14:16 disse...

Val, querida,
Que texto mais lindo! Acabo de descobrir que temos uma poetisa entre nós!
Parabéns!!!
Beijos,
Erica

{ joselito bortolotto } at: 20 de fevereiro de 2011 09:38 disse...

Grande Valéria, me fez lembrar o Raul Seixas, em nasci 10.000 anos atrás, sou tudo e não sou nada, sou uma contradição ... perfeita.

{ Leila Franca } at: 20 de fevereiro de 2011 19:37 disse...

Oi Valéria,

Vim ver o que andaste escrevendo... Então deixa eu complementar tua poesia...

Você é simpática,
Amorosa, simples
Lúcida, mas sonhadora
Enigmática
Real
Idealista e
Amiga

(um acróstico pra vc)

bjs

{ Ademar } at: 26 de fevereiro de 2011 18:24 disse...

Lindo, leve e denso, uma delicia de se ler.

{ Corretora Fatima Zanin } at: 4 de março de 2011 16:13 disse...

Olá amiga Valéria, que texto maravilhoso, realmente somos como no texto,nos encaixamos nas diversas situações, ora isso ,ora aquilo,tudo depende da hora, das emoções, da vida.
Beijo.

{ Sissym } at: 4 de março de 2011 18:16 disse...

Eu tambem sou assim: forte e fraca, tudo e nada. Sou como o tempo, claro ou nublado, azul ou chovendo. Procuro, ao menos, rir.

{ Mary Miranda } at: 4 de maio de 2011 18:32 disse...

Muito lindo o poema, Valéria!

Eu me identifiquei bastante com ele...
Creio que o melhor da vida é ser essa dualidade gostosa, um misto de serenidade e impaciência; o ser humano é mesmo complexo!...

Continue nos agraciando com textos quais esse, minha flor!

Um beijo,
Mary:)

Postar um comentário