Viagem de Trem

quarta-feira, 11 de agosto de 2010
A vida não passa de uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, 
alguns acidentes, agradáveis, surpresas em muitos embarques e grandes 
tristezas em alguns desembarques. 
Quando nascemos, entramos nesse magnífico trem e nos deparamos com algumas 
pessoas, que julgamos, estarão sempre nessa viagem conosco, nossos pais. 
Infelizmente isso não é verdade, em alguma estação eles descerão e nos 
deixarão órfãos do seu carinho, amizade e companhia insubstituível. Isso 
porem não nos impedirá que durante o percurso pessoas que se tornarão muito 
especiais para nós embarquem. Chegam nossos irmãos, amigos, filhos e amores 
inesquecíveis! 
Muitas pessoas embarcaram nesse trem apenas a passeio, outras encontrarão no 
seu trajeto somente tristezas e ainda outras circularão por ele prontas a 
ajudar quem precise. 
Vários dos viajantes quando desembarcam deixam saudades eternas, outros 
tantos quando desocupam seu assento, ninguém se quer percebe. 
Curioso é constatar que alguns passageiros que se tornam tão caros para nós, 
acomodam-se em vagões diferentes dos nossos, portanto somos obrigados a 
fazer esse trajeto separado deles, só que não nos impede é claro que 
possamos ir ao seu encontro. No entanto, infelizmente jamais poderemos 
sentar ao seu lado, pois já haverá alguém ocupando aquele assento. 
Não importa, é assim a viagem, cheia de atropelos, sonhos, fantasias, 
esperas, despedidas, porém, jamais retornos. Façamos essa viagem então, da 
melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com os outros 
passageiros, procurando em cada um deles o que tiverem de melhor, lembrando 
sempre quem algum momento eles poderão fraquejar e precisaremos entender, 
porque provavelmente também fraquejaremos e com certeza haverá alguém que 
nos acudirá com seu carinho e sua atenção. 
O grande mistério afinal é que nunca saberemos em  que parada desceremos, muito 
menos nossos companheiros de viagem, nem mesmo aquele que está sentado ao 
nosso lado. Eu fico pensando se quando descer desse trem sentirei saudades. 
Acredito que sim, me separar de muitos amigos que fiz será no mínimo 
doloroso, mas me agarro na esperança quem em algum momento estarei na 
estação principal e com grande emoção os verei novamente. Estarão com uma 
bagagem que não possuíam quando embarcaram e o que me deixará mais feliz 
será ter a certeza de que de alguma forma eu fui uma grande colaborador 
para que ela tenha crescido e se tornado valiosa. 
Gente façamos com que a nossa estada nesse trem seja tranqüila, que tenha 
valido a pena e que quando chegar a hora de desembarcarmos o nosso lugar 
vazio traga saudades e boas lembranças para aqueles que prosseguirem a 
viagem. 
Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida 
de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia 
bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos. 
Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e 
desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer. 
Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida a nossa própria 
imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os 
sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor. Tempo de 
entusiasmo e coragem em que a gente enfrenta com toda disposição de tentar 
algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso. 
Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se presente e tem a duração do 
instante que passa...

Mario Quintana

5 comentários:

{ Atena } at: 11 de agosto de 2010 19:04 disse...

Esse velhinho amado era demais!
Linda iniciativa, Marcos.
bjs
Atena

{ Sissym } at: 11 de agosto de 2010 22:11 disse...

Boa comparação com uma estação onde entramos e saimos, observamos pessoas chegarem e partirem.
Espero que o meu desembarque seja num lugar especial, e que eu seja assim para os que ficaram nas demais estações da minha vida.

{ Dú Pirollo } at: 11 de agosto de 2010 23:43 disse...

Caro amigo Marcos, Mario Quintana foi simplesmente magnífico nesta beleza de obra comparando a nossa vida com uma viagem de trem... se bem que nossa vida é mesmo uma viagem... estamos nos trilhos. Parabéns pela excelente postagem. Abraços e muita paz!!!

{ Jackie Freitas } at: 12 de agosto de 2010 09:46 disse...

Marcos, meu querido anjo amigo!
Que estréia fantástica! Um texto de primeira com a analogia perfeita! Será muito bom visitar esse espaço e poder viajar, sem destino e sem estação para descer...Deixar apenas que as palavras nos levem a lugares encantados e mágicos...
Estou ansiosa para sentar e relaxar aqui...
Grande beijo,
Jackie

{ Della } at: 12 de agosto de 2010 19:27 disse...

Marcos, parabéns por este cantinho muito especial!
Sua Alma, com certeza, é totalmente Poética.
Beijos.

Postar um comentário