TE ESPERO, MEU AMOR

domingo, 29 de agosto de 2010


Te espero feito a areia espera o mar
em noites quentes sem o orvalho a refrescar.

Te espero feito Anjo agoniado
ao ver sua pupila com o olhar em lágrimas anuviado.

Te espero feito a Rosa no deserto
sonhando a fonte que encontra-se ali bem perto.

Te espero feito a mãe aflita
rezando as horas junto à vela que crepita.

Te espero feito criança ao aniversário
contando os segundos para apressar seu fadário.

Te espero feito o inverno à primavera
para derreter-se colorindo-se em nova era.

Te espero feito o mendigo ao jantar
orando para que o Rei volte os olhos ao por ele passar.

Te espero feito a enferma à injeção
sabendo que será sua última salvação.

Te espero feito quadro à moldura
completando-se em beleza àqueles a quem se afigura.

Te espero feito estrelas ao luar
iluminando as nuvens a quem os contemplar.

Te espero feito, em sombras, a donzela perdida;
pois que agora, meu Amor,
somente tua voz é a luz de Minha VIDA.

Poema de Della Coelho
Imagem: google.com


2 comentários:

{ Neusa Fiesta } at: 29 de agosto de 2010 23:46 disse...

Della, suas palavras encantam e refletem
tudo o que lhe vai n'alma...Parabéns!
Beijos

{ Dú Pirollo } at: 30 de agosto de 2010 21:12 disse...

Minha querida amiga Della, boa noite!!!
Maravilhoso o seu poema, adorei!!!
Temos sempre que ter muita calma, pois nossas vidas, em nossos caminhos, temos sempre que esperar... a esperança é uma virtude sublime, e nunca deve morrer.
Parabéns pelo excelente poema!
Abraços e muita paz!!!

Postar um comentário