QUANDO ME ENCONTREI

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Indiferença total,                           
Lei de vivência,
Filosofia vã...

Um olhar vazio, parado
um cardápio esquecido, uma bebida qualquer.

Nada é real...
Gente passando, gente sorrindo,
gente chorando
Gente...

Cada vez mais, gente!
E eu aqui, indiferente aos eternos porquês
e desesperadamente à procura de uma resposta.
Difícil entender...

Pára tudo!
De olhar toda essa gente, paro de pensar
e penso que quero parar de pensar.

Vivo!
Mas tudo é nada.
Um nada imenso, uma melancolia cruel...
Mil recordações de um amor inacabado,
de pequenas coisas que ficam guardadas.

E isso dói.
Um desperdício imenso de amor...
Dói!

Mas, é passado.
Outras coisas se sobrepõem a isso,
diferentemente e sem ansiedade.
A gente morre um pouco quando diz adeus...
Nunca mais é a mais pessoa.

Sempre haverá aquela coisinha insignificante
chamada "experiência".
Sempre haverá algo para nos deixar
menos inocentes, mais discrentes, mais indiferentes.

Termino o drink, olho à minha volta.
É inútil...
Chego a crer que minhas incertezas
já fazem parte do meu próprio eu.

Sim, é inútil!
Pago a conta, 
vou embora.


Indiferença total,
Lei de vivência,
Filosofia vã.

Será??!





Texto de Neusa Fiesta
Imagem: gravura de Eduardo Lima-
do acervo de Neusa Fiesta









6 comentários:

{ Marcos Airosa } at: 21 de agosto de 2010 16:26 disse...

Neusa, meus parabéns, vc marcou sua presença, belíssima por sinal. Essa dor só ´pode ser avaliada por quem já sofreu por um amor. Estou agradecido por ter vc aqui, obrigado de coração.Bjo.

{ Neusa Fiesta } at: 21 de agosto de 2010 17:14 disse...

Marcos, eu é que agradeço por suas palavras amáveis e pelo seu convite para participar deste espaço!
Um grande beijo!

{ Dú Pirollo } at: 22 de agosto de 2010 03:31 disse...

Minha estimada amiga Neusa, bom dia!!!
Lendo seu poema me veio a mente uma coisa que li não sei onde, faz algum tempo... "Nesta vida nada é real, nada tem valor, nenhum sofrimento é necessário... importa apenas este momento. Parabéns pelo excelente poema, adorei!!!
Beijos e muita luz em seu caminho!!!

{ Neusa Fiesta } at: 22 de agosto de 2010 14:29 disse...

Querido amigo Dú,
fico feliz que tenha gostado; é muita gentileza
de sua parte! Um grande beijo.

{ Della } at: 28 de agosto de 2010 16:47 disse...

A solidão palpável das últimas estrofes de seu poema chega a doer. Gostei muito. Parabéns.

{ Neusa Fiesta } at: 29 de agosto de 2010 23:38 disse...

Della, agradeço imensamente por suas considerações; sinto-me honrada por
ter gostado. Um grande abraço!

Postar um comentário